Castro de Santa TREGA (Galiza – Espanha)

hpim5062.jpg

O que é: A parte visível das ruínas faz parte de uma aldeia celta erigida no séc. II – I a.C. Situada num ponto estratégico, tem ao lado o oceano Atlântico e ao fundo o Rio Minho, que serve actualmente de fronteira entre Portugal e Espanha. Apesar da relevância que este povoado teve no início, com a hegemonia romana, o florescimento das vias de comunicação terrestre o comércio marítimo perdeu importância e consequentemente este povoado. De referir que nesta aldeia viviam à altura cerca de 3000 pessoas.

 

Localização: O Castro de Santa Trega localiza-se perto da fronteira de Portugal/Espanha no Rio Minho. De Caminha podemos apanhar o ferry, ou então atravessamos a fronteira em Vila Nova da Cerveira e seguimos em direcção a A Guarda. Encontraremos placas que indicam o castro, normalmente como aldeia Celta.

O castro aparece delimitado com uma muralha e as suas ruas são muito estreitas. Temos uma via principal e vários caminhos que depois seguem até às casas.

hpim5065.jpg

As casas organizam-se em grupos (habitacionais, oficinas, armazéns…) com um pátio comum.

A maioria das casas são circulares, mas também as há que são rectangulares.

hpim5059.jpg hpim5065.jpg

Viviam em casas de pedra unidas com barro, depois eram rebocadas com areia e cal, com cores desde o azul, branco ou mesmo vermelho. O telhado, em forma cónica ou de duas águas, era composto por material vegetal. Foram encontradas algumas portas muito decoradas. O interior das casas girava em torno do fogo central, que além de proporcionar luz, aquecia o ambiente. Normalmente as pessoas que habitavam a casa dormiam no chão ou em pequenas esteiras.

como-viviam.jpg casa.jpg  hpim5069.jpg hpim5066.jpg mapa.jpg Localização (mapa)

Comentários

Comentários

Olá, somos o Sérgio e a Sandra! Costumamos dizer que "somos viajantes a tempo inteiro e juristas nas horas vagas". Mas somos, acima de tudo, apaixonados pelo mundo, pelas viagens... sejam elas curtas ou longas. É da Guarda, a cidade dos cinco f's e por sinal a mais cidade mais alta, que procuramos abolir fronteiras. Com mochila às costas e botas calçadas venham connosco, entrem em autocarros apinhados, comboios eternos e estradas lamacentas… Tudo sobre nós >>> Sigam-nos no Facebook

Leave a Reply

Your email address will not be published.