África, Marrocos, Marrocos, as cores quentes de África

Mesquita Hassan II, em Casablanca, Marrocos

24/09/2011

Há monumentos que impressionam. Uns pela sua grandiosidade, outros pela sua arquitectura arrojada e, outros ainda, pelo local e época em que as suas pedras foram lançadas. A mesquita Hassan II, em Casablanca, é um exemplo raro, pois impressiona por todos eles. Foi construída sobre as águas agitadas do atlântico, é expoente máximo da arquitectura muçulmana e tem capacidade para 25 mil fieis.

Mesquita Hassan II, em Casablanca

De acordo com o Alcorão, “o trono de Deus está sobre as águas”, assim a mesquita foi construída sobre as águas atlânticas.

A rápida paragem que efectuamos em Casablanca nada tem a ver com o “play it again Sam”, do filme que nunca vi. Conforme já referimos, em Casablanca podemos encontrar uma das duas únicas mesquitas abertas a não-muçulmanos em Marrocos.

Como em muitos outros locais que se espalham pela costa oceânica de Marrocos, também em Casablanca os portugueses fizeram das suas. Por forma a proteger as rotas comerciais, frequentemente atacadas pelas tribos locais, em 1468, a cidade foi completamente saqueada e destruída, de seguida, pelos portugueses, depois de estes aqui chegarem com uma armada de 50 navios e 10 mil soldados. Mais tarde, os portugueses fixaram-se nesta cidade de tons claros, a que chamaram, adivinhem lá, Casa Branca. Como já tinha acontecido com as ruinas de Volubilis, também em Casablanca o terramoto de 1755 causou sério danos, principalmente nas muralhas exteriores da cidade, obrigando os portugueses a abandonar esta espécie de colónia.

Portas exteriores, duplas e em forma de arco quebrado. Mesquita Hassan II, em Casablanca

Portas exteriores, duplas e em forma de arco quebrado. Mesquita Hassan II, em Casablanca

Mas regressemos ao que aqui nos traz, a mesquita Hassan II, para dizer que esta foi mandada construir pelo Rei Hassan II em 1980, mas os trabalhos de construção só terminaram em 1993. Tem capacidade para 25 mil lugares no interior e 80 mil no exterior, o que a torna a 2ª maior construção religiosa do mundo, a seguir à mesquita de Meca.

Além dos 13 anos de construção, juntamente com o arquitecto francês Michel Pinseau, trabalharam 35 mil artesãos.

Orando em contraluz (Porta da mesquita)

Azar dos azares, a única mesquita que teríamos possibilidade de visitar em Marrocos está fechada. O horário das visitas já terminou. O sr. vigilante dá-se conta da nossa desilusão e claro, é o momento perfeito para fazer mais uns cobres diários à custa dos tugas.

Sorrateiramente, chama um amigo pelo walkie-talkie e conferencia com ele. Passados uns minutos, estamos nós, em fila indiana a entrar na mesquita, pela porta dos fundos.

A mesquita é extraordinária. A hamman, agora desactivada, é uma maravilha para os olhos, com as suas inúmeras fontes esverdeadas. Atravessamos a hamman e tocamos ao de leve no frio estuque esculpido e nos azulejos zellij.

Quem está habituado à imponência, ou melhor opulência, das igrejas católicas vai sentir falta de algo nas paredes destes edifícios, completamente despidos. Esta nudez rude e crua confere um estado de alma diferente a estes monstros de pedra. Faz-nos parecer um ponto entre pedras frias, um singelo ponto no centro de tudo, mas, ao mesmo tempo, no centro de nada.

Se um dia chegar a hora de escolher entre esta Mesquita e a Praça de S. Pedro, vou ter efectivamente dúvidas redobradas.

Sala de Oração - Interior da mesquita Hassan II, em Casablanca

Sala de Oração – Interior da mesquita Hassan II, em Casablanca

Quando regressámos à superfície, depois de visitarmos a mesquita, ou melhor, parte dela, o sr. Vigilante, sorriso nos lábios, estende a mão… business is business. A visita, bilhete normal, custa 120 Dirham por pessoa. Ao todo, acabámos por pagar 100 dirham, mas sem vermos uma parte da mesma.

O Minarete – 25m de largura, 200m de altura. É o mais alto edifício em Marrocos. É encimado por 2 raios lases que brilhar por mais de 30 km na direcção de Meca

A grandiosidade, vista do exterior

crianças brincando no exterior da mesquita

Mais informações sobre a Mesquita, em Casablanca

Visitas guiadas: 9H, 10H, 11H e às 14H (visitas guiadas em vários idiomas); preço- 120 dirham (existem descontos para estudantes e idosos)

http://en.wikipedia.org/wiki/Hassan_II_Mosque

http://foradomapa.dimambro.com.br/?p=1262

Localização da Mesquita (Casablanca)

Comentários

Comentários

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Cidade imperial de Fez @ Marrocos « os meus TRILHOS 10/11/2011 at 00:34

    […] dos negócios, do turismo, da vida… Hoje, perdeu a política para Rabat, os negócios para Casablanca e o turismo para Marraquexe. Contudo, sobrou-lhe a vida, o encanto dos souks e das ruas estreitas, […]

  • Reply Alex Vasconcelos 12/06/2015 at 15:19

    E qual o horário de visita?

    • Reply os meus trilhos 12/06/2015 at 18:55

      Olá Alex,

      Pelo que me recordo, a visita só é possível, acompanhado de um guia. Atualmente, e se acordo com a informação da Frommers, este é o horário:
      >Hours Tours Sept-June Sat-Thurs 9am, 10am, 11am, and 2pm, Fri 9am and 2pm; July-Aug daily 2:30pm
      >Prices Guided tour in English, French, German, and Spanish 120dh adults, 60dh students with ID, 30dh children 11 and under

      espero que ajude!
      Abraço
      Sérgio

      • Reply Dora 19/06/2015 at 21:46

        Efetivamente, a visita só pode ser efetuada com guia e vale a pena! Relembro da necessidade de cobrir as pernas!

    Este artigo foi escrito para si. Se gostou, comente...