Castelo do Sabugal

O frio de inverno já gela as mãos neste fim de tarde solarengo. Atravessamos o Côa e damos de frente com o Castelo do sabugal, castelo que em 1297, sob o reinado de D. Dinis, juntamente com outras posses de Riba-Côa, passou a ser pertença portuguesa.

Reza a tradição que aqui (outros dizem que em Coimbra), a rainha Isabel de Aragão, fiel esposa de D.Dinis, terá transformado o pão do regaço em Rosas, dando origem à lenda e à proclamação de Santa Isabel, Rainha de Portugal. São rosas, senhor, são rosas…

Castelo do Sabugal - Guarda

Desenha-se, ainda ao longe, a forma pentagonal da sua torre de menagem a lembrar as 5 quinas da bandeira. Aos olhos do povo, a forma singular da torre não passou indelével, dizendo-se de boa-em-boca: “Castelo de cinco quinas/ Não o há em Portugal/ Senão junto ao rio Côa/ na Vila de Sabugal”.

Hoje, o castelo do sabugal é apenas uma reminiscência do auge de outrora. Restaurado no início da década de 40 do Século passado, ainda guarda nas suas pedras os factos que a História não deixa esquecer.

Afinal, foi aqui que a infanta D. Maria, filha de Afonso IV, e Afonso XI, rei de Leão e Castela contraíram o enlace matrimonial. Mas, o último grito do castelo foi dado a 3 de Abril de 1811. As tropas napoleónicas, comandadas por André Masséna, sofreu aqui uma dolorosa derrota, na sua retirada do território luso.

Castelo do Sabugal - Guarda

Passamos a barbacã, uma espécie de muralha baixa que circunda a fortaleza e estamos de frente para o posto de turismo. O castelo, informam-nos, está quase a fechar. Insistimos numa visita e as nossas preces são atendidas. Somos os únicos a circular pelo espaço. Temos um castelo só para nós.

Desembocamos n a praça de armas e que, em 1864, no seguimento do decreto que proibiu o enterramento nas igrejas, foi usada como cemitério. Hoje aloja um pequeno anfiteatro, com uma envolvente mágica.

Subimos de rompantes ao adarve (que descobri, tem origem na palavra árabe ad-darb – muro da fortaleza) quando a luz já era parca e o luar forte temperava o céu de um azul frio. O acesso à torre de menagem faz-se através de escadas de madeira, que circulando a torre nos leva até ao topo.

Daqui, se a luz não fosse já tão parca podíamos ver o lento correr das águas do Côa… Sabugal está iluminado por uma luz azulada e cada vez mais gelada. As ruelas estão gastas do passar dos anos e o casario alinhado lembra tempos passados, outros tempos de glória.

Sabugal à Noite, vista da Torre de Menagem do Castelo
Sabugal à Noite, vista da Torre de Menagem do Castelo

Localização

Largo de Santa Maria, 6320 SABUGAL | Distrito: Guarda | Concelho: Sabugal

Ver mapa maio no Google Maps

Mais informações:

http://www.historiadeportugal.info/castelo-do-sabugal/

http://www.castelodosabugal.com/

http://rotados5castelos.cm-sabugal.pt

http://www.cm-sabugal.pt/

Nota: se alguma destas informações não estiver correcta, por favor avise-nos através do e-mail: osmeustrilhos@gmail.com, ou comente. Obrigado!
Enhanced by Zemanta

Comentários

Comentários

Olá, somos o Sérgio e a Sandra! Costumamos dizer que "somos viajantes a tempo inteiro e juristas nas horas vagas". Mas somos, acima de tudo, apaixonados pelo mundo, pelas viagens... sejam elas curtas ou longas. É da Guarda, a cidade dos cinco f's e por sinal a mais cidade mais alta, que procuramos abolir fronteiras. Com mochila às costas e botas calçadas venham connosco, entrem em autocarros apinhados, comboios eternos e estradas lamacentas… Tudo sobre nós >>> Sigam-nos no Facebook

2 thoughts on “Castelo do Sabugal

Leave a Reply

Your email address will not be published.