Espanha, Europa

Casa Batlló – Na rota do modernismo em Barcelona

10/02/2012

Casa Batllo, na rota do modernismo em Barcelona

Entre 1880 e 1930, durante cerca de 50 anos, desenvolveu-se em Barcelona, como em toda a europa, um movimento que queria romper com os “canons” tradicionais da arquitetura, privilegiando a estética. Lançam-se numa “luta” contra os costumes, contra a forma de viva que surgiu com a revolução industrial e o consequente crescimento das cidades.

Telhado da Casa Batllo, em Barcelona

Telhado da Casa Batllo, em Barcelona

O Modernismo, adquire na Catalunha uma personalidade forte e desenvolvida, a quem chamaram de Modernismo Catalão. Como já referimos noutros “posts”, Antonio Gaudí foi o mais proeminete arquiteto da altura, ainda que outros nomes tenham realizado obras de igual envergadura, como foi, por exemplo, Domènech i Montaner.

Desenvolve-se na cidade novos conceitos arquitetonicos baseados na natureza. Colocam no exterior dos edifícios elementos decorativos como passaros, borboletas, etc, pessoas e animais. Os balcões são moldados em ferro forjado, com motivos naturais. A burguesia que se sente catalã, encontra na arquitetura forma de expressar o seu sentimento catalão.

A casa Batlló, é um mais famosos exemplos dessa corrente modernista. Nasce de uma remodelação de um outro edifício que existia no local, pelas mãos de Gaudí. Localiza-se na cosmopolita avenida Passeig de Gracia. Nesta zona, também chamada de Manzana de la Discordia, existem diversos edifício com características modernistas.

Chegamos ao à casa Batlló já ao final da tarde. Diversas pessoas fazem fila para comprar os bilhetes de acesso. Uma amalgama de idiomas chocam no ar. Desde a Ásia às Americas, Barcelona é cada vez mais um dos destinos de top na Europa.bilhete casa batllo

Os bilhetes, com cartão de estudante, custam a módica quantia de €14,55, com os indispensáveis audio-guias. Assim como na sagrada Família, também aqui o “diabo está nos pormenores”. Gaudi era um homem de simbolismos e cada recanto desta casa este impregnada de um misticismo invulgar.

Percorremos cada canto da casa em andamento, porder-se-ia dizer, mais que adagio.

Colocando as cores de parte, a casa Batlló, parece-me uma qualquer fruta que,vista de fora, não deixa revelar os mistérios do seu interior. Por fora, a luz que se reflete nas paredes e formas ondulantes da casa faz os elementos orgânicos parecerem integrados num autêntico jardim, em tons azulados.

O interior é alaranjado aqui, alí rosa… mas no centro, sim, no centro, é azul. Em vários tons. A luz entra por uma espécie de clarabóia e é uniformemente distribuída pelo andares inferiores, de uma maneira magistral.

As linhas retas não existem por estes lados. Tudo aqui é movimento, desde as pegas das portas até ao telhado, com as suas curiosas chaminés.

Arco parabólico catenário, nas águas furtadas da casa Batlló

Arco parabólico catenário, nas águas furtadas da casa Batlló

Antes de chegarmos à autentica poesia por que é pautado terraço no telhado, passeamos pela magia das águas furtadas, sem dúvida uma das mais belas partes desta casa. Gaudi consegue, fazendo uso do famoso arco parabólico catenário, dar relevância a uma das partes mais menosprezada da generalidade das casas.

A “azotea”, como lhe chamam os espanhóis, é, ao fim do dia, e como já dissemos, autêntica poesia. O ladrilhado multicolor refletindo os últimos raios de sol, são, voltamos a dizer, pura poesia.

Descemos ainda contagiados pelos contornos do gigante animal aninhado no telhado. Quando saímos para o Passeig de Gràcia as filas ainda não haviam diminuído.

Misturamos-nos com a multidão e deixamos-nos ir pelas “ramblas” abaixo.

Informações úteis

Visitas: das 9h às 20h

Preços: Geral -18,50€ / estudante – 14,55€ (audio guia incluído em ambos os preços)

Como chegar: Metro L2, L3, L4, estação Passeig de Gràcia

Mais informações: www.casabatllo.cat

Mais Fotos

barcelona - guia de viagem

Comentários

Comentários

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply Luffi 06/11/2012 at 05:18

    Sem palavras!!! Conseguiram dizer e fazer sentir em poucas palavras a verdadeira essência desta excêntrica casa, para mim a mais bonita de todo o modernismo. Apesar do preço amargo do bilhete é sem sombra de dúvida a visita indispensável. Para mim o que mais me surpreendeu foi o teto da sala de jantar e a harmonia que tem com toda a casa e em especial com o candeeiro, algo de génio! A título de curiosidade esta casa e em especial esta sala aparece em vários filmes do magnifico realizador Tim Burton (tem tudo a ver com a filosofia dos seus filmes) conseguem saber quais?

  • Este artigo foi escrito para si. Se gostou, comente...