Hungria

A grande Sinagoga de Budapest (Dohány)

27/04/2012

01 - Budapest - Parliament-1

Começamos o dia manhã bem cedo. Contudo, a cidade parece já ter acordado e está bem viva. Os ritmos aqui são diferentes. A gente acorda mais cedo. A esta hora Portugal ainda dorme.

Atravessamos a longa avenida Múzem Kut e, quase sem se dar conta, entramos no antigo bairro judeu de Pest.

À entrada do bairro ergue-se imponente a grande Sinagoga. A perseguição e ostracização a que a comunidade judaica foi sujeita durante séculos, e com mais atrocidade durante a segunda guerra mundial, estão bem marcadas aqui, nas paredes da sinagoga.

A entrada nesta “igreja” judaica só é possível através de uma visita guiada. Há três opções à escolha. Optamos por aquela que nos parece mais interessante: visita à sinagoga, museu judaico e jardim memorial. Paga-se 1900 florins, cerca de 6,5€.

Sou obrigado a cobrir a cabeça com Kippah, uma tradição que perdura desde o tempo dos romanos. Agora, para a visita, homens e mulheres, entramos todos na grande sinagoga pela mesma porta, sentamo-nos no mesmo banco e circulamos pelos mesmos espaços. Mas nas celebrações normais, tal não se passa. Mulheres e homens têm papéis distintos na tradição judaica e consequentemente, na sinagoga, sentam-se em locais diferentes. A tradição parece remontar aos tempos do Templo de Jerusalém. Já há altura, não no interior, mas no pátio exterior, havia um local para os homens e um local para as mulheres… é a tradição, assim mesmo.

Budapest-great-synagogue

A sinagoga Dohány é gigantesca e uma miscelânea de estilos. Podemos encontrar desde os arcos mouriscos às cores carregadas do estilo bizantino.

Sentados, enquanto o guia num espanhol com um sotaque estranhíssimo contava os vários usos e as peripécias a que a sinagoga foi sujeita ao longo dos séculos. Paro por uns instantes na frase que adorna a parte principal da sinagoga, caprichosamente orientada em direção a Jerusalém. Deus está em todo a vida do povo hebraico e esta inscrição é sinónimo disso: “desde o nascer ao pôr do sol, seja glorificado o nome do senho”…

Saindo da sinagoga, atravessamos um corredor estreito que nos leva até ao memorial, onde se evoca a memória de todos aqueles que perderam a vida nessa página sangrenta da nossa história.

O guia continua. No final de dez de 1944, os nazis usam a sinagoga como cavalariças, e no segundo piso instalam um centro de comunicações. Nas traseiras, encerram cerca de 80 mil judeus, no Ghetto, até meados de janeiro de 45. A 18 de janeiro de 45, o exército soviético entra em Budapest, encontra a sinagoga quase totalmente destruída e à sua volta centenas de judeus mortos. A solução foi abrir valas comuns. Esta é ainda uma das memórias mais vivas entre os habitantes e aquela que mais dor causa.

Budapest-great-synagogue

O regime soviético, que se instalou no pós-guerra não patrocinou a reconstrução da sinagoga e só em 1990 é que o governo húngaro patrocinou com cerca de 90% dos 10 milhões de dólares a reconstrução. Os restantes 10% foram doados por fundações e por individualidades. Os membros que participaram na reconstrução com donativos receberam um lugar cativo na sinagoga, os bancos identificados com o seu nome.

Hoje em dia a sinagoga é multifuncional. É utilizada quer como museu, que como local de celebração das diversas festividades hebraicas.

Saímos pela porta principal, quando às filas da manhã já se haviam dissipado. O bairro judeu continua para norte. Existem 22 sinagogas em Budapest e aqui vivem cerca de 60 mil judeus, dos 80 mil que vivem na Hungria.

Budapest great synagogue

A grande Sinagoga de Budapest (Dohány) ao entardecer

Budapest sempre foi reconhecida pela sua cultura de tolerância desde os tempos imemoriais para com os judeus. É esta a imagem que quero levar, a imagem de uma cidade moderna, democrática, livre e tolerante que apesar da sua história sangrenta no sec.xx, não deixará de mostrar ao mundo as virtudes da diversidade.

Opening Hours for Tourist Visits

2 November 2011 – 28 February 2012
Sunday – Thursday: 10 a.m. – 3:30 p.m.
Friday: 10 a.m. – 1:30 p.m.
Saturday: closed

1 March 2012 – 31 October 2012
Sunday – Thursday: 10 a.m. – 5:30 p.m.
Saturday: closed

1 March 2012 – 26 March 2012
Friday: 10 a.m. – 3:30 p.m.

27 March 2012 – 31 October 2012
Friday: 10 a.m. – 4:30 p.m.

Tour Priceshttp://www.greatsynagogue.hu/jewishquartertours.html#2

Everything about the visits can be found here: http://www.greatsynagogue.hu/gallery_syn.html#4

Adress: Dohány utca 2-8. in district VII., at an angle to Károly körút, between Deák tér and Astoria
Tel: +36 1 317 2754

Public transport

– take subway M1 (yellow) / M2 (red) / M3 (blue) to Deák tér station, then walk on Károly körút towards Astoria.

– take subway M2, tram 47, 49 or bus 7, 78 to Astoria station, then walk on Károly körút towards Deák tér.

– the Dohany Synagogue is at walking distance from the downtown hotels and the famous pedestrian shopping street called Váci utca.



Comentários

Comentários

2 Comments

  • Reply What to see in Budapest (Top Attractions) « os meus TRILHOS 14/05/2012 at 12:48

    […] Quem sou? Flickr Twitter Facebook RSS Feed ← Fisherman’s Bastion (Halászbástya) – Budapest A grande Sinagoga de Budapest (Dohány) → […]

  • Reply Roadrunner 23/05/2012 at 21:47

    Realmente é interessante reviver uma cidade que conheci há cerca de 13 anos atrás, mas debaixo de neve e com temperaturas na casa dos 8º negativos. Ver este sol radioso não deixa de ser curioso para mim. No entanto, e em qualquer caso, sempre uma cidade bela e cativante, plena de história e beleza natural.

    Saudações!

  • Leave a Reply