Ponte da Misarela, onde o diabo anda à solta

Chegámos à ponte, à Ponte da Misarela

Aqui o diabo anda mesmo à solta, fazem-se mezinhas e rezam-se quebrantos.

Depois de Pitões das Junias, descendo em direção ao Cávado, o rio Rabagão corre livre, sulcando rochas e falésias, deixando atrás de si um rasto de lagoas profundas e cascatas íngremes.

O Norte do país é, todo ele, extremamente rico em lendas e estórias de encantar, diabos, feiticeiras e almas penadas.

Mas a Ponte da Misarela, eternizada na voz de Sebastião Antunes (Quadrilha) é um dos lugares mais fascinantes e com uma das lendas mais deliciosas.

Ponte da Misarela-1

Como era costume nos tempos idos, qualquer obra que extravasasse as normais capacidades humanas era obra do diabo. A velha Ponte da Misarela não escapou a esse destino, e a sua construção estará irremediavelmente ligada a um homem que entrega a sua alma a Belzebu. E não admira que lhe chamem ponte do diabo, a julgar pelas escarpas que ladeiam a ponte e sobre as quais a mesma se encontra edificada.

Debaixo desta ponte com poderes mágico, conta-se, sempre foram comuns práticas ancestrais ligadas à fertilidade.

Ponte da Misarela
Ponte da Misarela, onde o diabo anda à solta

A pouco e pouco, as populações começaram a atribuir carácter sagrado à Ponte da Misarela. Mandava a tradição que quando uma mulher não levava os filhos a cabo – ou seja, quando algo ia mal na gravidez -, se dirigisse à Ponte e debaixo dela pernoitasse, na expectativa de ajuda celeste para o seu problema.  No dia seguinte, a primeira pessoa que atravessasse a Ponte teria que ser padrinho ou madrinha da criança, à qual seria posto o nome de Gervásio, se rapaz viesse ao mundo, ou de Senhorinha, se de rapariga se tratasse. (ver lenda completa)

A lenda é lenda e a realidade por muito que se esforce não lhes chega aos calcanhares.

Esta ponte romano-medieval, situada em Ruivães, foi também palco de um combate entre as tropas francesas de Soult que retiravam do Porto, no final da II Invasão Francesa e milicianos locais que lhes procuravam tolher a passagem, em Abril de 1809.

Mais Informação sobre a Ponte da Misarela

Localização: Ruivães (concelho de Montalegre) consultar mapa

Informações sobre a Lenda em Lendarium e na página oficial do Município de Montalegre

Percurso Pedestre: Ponte da Misarela – Entre Cávado e Rabagão“, veja também os relatos de outros caminheiros (Cabras do Gerês e Pegada e Bota)

 

 

“Ponte da Misarela” Quadrilha

Comentários

Comentários

Olá, somos o Sérgio e a Sandra! Costumamos dizer que "somos viajantes a tempo inteiro e juristas nas horas vagas". Mas somos, acima de tudo, apaixonados pelo mundo, pelas viagens... sejam elas curtas ou longas. É da Guarda, a cidade dos cinco f's e por sinal a mais cidade mais alta, que procuramos abolir fronteiras. Com mochila às costas e botas calçadas venham connosco, entrem em autocarros apinhados, comboios eternos e estradas lamacentas… Tudo sobre nós >>> Sigam-nos no Facebook

7 thoughts on “Ponte da Misarela, onde o diabo anda à solta

    1. Bruno, mais uma vez, obrigado pela visita. Em junho há uma caminhada que passa pela ponte e em julho há festa na Misarela. Acho que é a reunião anual dos Gervásios e das Senhorinhas 🙂 Nós devemos andar por lá!!!

      Um abraço,
      Sérgio

  1. Apenas uma observação. Freguesia de Ruivães pertence a Vieira do Minho e não Montalegre

Leave a Reply

Your email address will not be published.