América do Sul, América Latina - Ir para contar, Argentina, Dicas, Pela Patagónia

Trocar dinheiro na Argentina. Em busca dos pesos argentinos

14/03/2014
Pesos argentinos

Tínhamos lido algures que havia duas soluções para trocar dinheiro na Argentina: vais a uma casa de câmbio oficial ou espera que o câmbio venha até ti, na rua!

Sentíamos-nos uma espécie de criminosos. A negociar, ali, na rua . Olhámos um para o outro. Negociámos a taxa de câmbio, examinámos as notas de cima a baixo e lá metemos os pesos no bolso.

Pesos argentinos

Pesos Argentinos

A taxa oficial de câmbio, estabelecida pelo Governo argentino, ronda os 7,5 pesos argentinos por cada dólar. No mercado negro (sim, sim, no mercado negro) facilmente conseguimos taxas à volta do 10 pesos ou mesmo 11 pesos por cada dolar. É a “blue rate”.

Já prevenidos, além dos euros que levávamos da Europa, aproveitámos a paragem em Miami  para levantar o máximo possível de dólares. E foi ver o ATM no aeroporto a cuspir notas até não poder mais 🙂

Mas o problema foi em Buenos Aires. Não sei se o jet lag, as noites mal dormidas ou o guia da Lonely Planet, a verdade é que as famosas ruas onde se troca o dinheiro não queriam aparecer.

Bem, mas por fim, ali à mão de semear, lá estavam eles: Câmbio!Câmbio! Casa de Câmbio. Euro, Dólar! – Gritavam.

Depois, abordou-nos na rua, como tantos outros. Chamam-lhe cantar o câmbio. Existem centenas de pessoas a “cantar” entre as ruas de Florida e Lavalle, no centro de Buenos Aires.

trocar dinheiro - Pesos Argentinos

Calle Florida, no centro de Buenos Aires. Uma das ruas mais agitadas da capital da Argentina

A taxa (Blue Rate) é melhor em Buenos Aires que no sul, na Patagónia. No Sul exploram os turistas, diz-nos um “cambista”, na penumbra, do outro lado do balcão do café transformado em casa de câmbio ilegal. Como vamos para sul, aproveitámos e trocámos quase o dinheiro todo. Passámos as mãos pelos pesos argentinos.

Viemos a descobrir que quase toda a gente troca dinheiro, em Buenos Aires.

Muitos supermercados e restaurantes aceitam dólares como forma de pagamento e, a maior parte das vezes, a taxas bastante vantajosas.

Mas afinal, porque é que existe tamanha diferença entre a taxa oficial e a blue rateA Argentina está a braços com uma grande crise inflacionista, inflação que facilmente pode chegar ao 20% ao ano. Com esta impressionante desvalorização diária da moeda é normal que exista uma corrida a moedas mais fortes e mais estáveis, como forma de reserva. Para agravar a situação o governo Argentino estabeleceu uma quantidade fixa de dolars que cada pessoa pode ter. Estão criadas as condições para o florescimento do mercado negro.

Mas é ilegal trocar dinheiro numa casa de câmbio não oficial, isto é, na rua? É ilegal! Mas existe uma consequência para quem for apanhado? Não me parece, a julgar pela quantidade de gente que negoceia na rua, mesmo nas barbas da polícia. Apesar de ser ilegal o troca de dinheiro na rua, os jornais anunciam alto e bom som a “blue rate” e as suas oscilações.

Claro que nem tudo são rosas. Sim, há espinhos: As NOTAS FALSAS.

Faça as contas e veja se o risco compensa. Por exemplo: se levantar pesos no multibanco 100 dólares serão uns 800 pesos. Na rua, facilmente conseguirá, pelos mesmo 100 dólares, uns 1050 pesos. São mais uns pesos para a sua viagem. 

[box type=”info” ]

Resumindo…

  1. Não levantes dinheiro no ATM, a taxa oficial de câmbio é bastante inferior à praticada na rua.
  2. Não troques no primeiro cambista que te aparecer pela frente. Procura saber qual a blue rate.
  3. A taxa de câmbio é melhor para as notas grandes (por.ex. de 100 doláres)
  4. Examina bem as notas quando efetuares a troca. Verifica as [lightbox full=”http://www.osmeustrilhos.pt/wp-content/uploads/2014/05/IMG_2073.jpg”]marcas d’água e os números de série.[/lightbox]
  5. Cuidado com as notas falsas. Não apanhámos nenhuma, mas “que las hay, hay”.
  6. Se for para outros pontos da Argentina, aproveita para trocar o dinheiro em Buenos Aires.
  7. Gasta todos os pesos argentinos, NÃO tragas pesos para fora da Argentina. Quase não há país no mundo que os aceite. Por isso, faz bem as contas e livra-te de todos os pesos argentinos antes de saires do país. (Nós descobrimos isso da pior maneira)

[/box]

 

Pesos argentinos - Marca d'água

Verifique a Marca d’água, os números de séries e a faixa metálica. São sinais indicativos de que a nota não é falsa

Comentários

Comentários

No Comments

Leave a Reply