Portugal

Sugestões para o Entrudo que se aproxima

10/02/2015
Entrudo Chocalheiro

Entrudo Chocalheiro

Todos sabem que adoramos o mais tradicional do nosso país e, preferências gastronómicas e religiosas à parte, viajar pelos cantinhos nacionais é um prazer do qual não abdicamos e que nos enchem de entusiasmo.

Por isso, este ano resolvemos sugerir-vos a tradições carnavalescas, disfarçadas de entrudo que animam o país.

Não nos envolveremos em toques de samba, com figurinos tropicais, porque esses ainda não nos convencem, contudo desta tradição pagã, enraizada, humilde que se repete, sem se perder no tempo não podemos esquecer:

Os Caretos transmontanos

Os caretos de Podence, em Macedo de Cavaleiros

Os caretos de Podence, em Macedo de Cavaleiros

Embora os mais afamados sejam os de Podence, em várias aldeias vizinhas o grotesco sai a rua a chocalhar, exibindo as mascara e fatiotas coloridas, atormentando os visitantes e agitando a vida de um povo. Em Podence, no Concelho de Macedo de Cavaleiros, dizem que o seu Carnaval é o mais português de Portugal. Interessados, vejam aqui o programa oficial dos caretos de Podence.

Este ano, também o Município de Bragança vai organizar o Carnaval Do Careto. As festividades começam a 14 de fevereiro, com o desfile e terminam no dia 18 com a queimar o Diabo.

Para vos despertar o interesse ficam as fotos do ano de 2013, que temperadas a frio e vento, mostram o melhor da festa de Podence.

Aproveitem a lindíssima paisagem da Albufeira do Azibo que fica ali tão pertinho e vale a visita a qualquer altura do ano.

Lazarim

Ainda que incrustada na serra beirã, Lazarim encosta-se a Trás-os-Montes e partilha algo da tradição. Aqui as mascaras são cuidadosamente talhadas em madeira, ganhando em misticismo.

Os Caretos de Lazarim

Os Caretos de Lazarim

A interação destas figuras está mais voltada para as gentes da terra e  o imperdível testamento da Comadre e do Compadre, faz corar as pedras da calçada e é impróprio para mentes sensíveis aos escárnio e mal dizer. Senão leiam:

Quando tocares no apito
Não o mostres a ninguém
Apenas à namorada
Para ela o tocar também

Não sei que raio vos deu
Parece que é comichão
Passais a vida a coçar
O instrumento com a mão.

Sois todos uns pan*€ºfr°os
que não valem 2 vinténs
Ninguém quer de vós saber
Até vos mijam os cães.

Alguns vêm de propósito
Para meter o focinho
Mas aquilo que nós queremos
É que leveis no cuzinho.

Alguns metem nojo
Com o paleio que têm
Se isto é tão ruim
Porque diabo cá vêm

De vós me vou despedir
Ó grande rapaziada
Não gostais de raparigas
Juntos fazeis marmelada.

A semana de entrudo é animada lá para o concelho de Lamego e não consta a história que os visados se tivessem ofendido com dito no testamento.

Este ano, ficaremos pelas Beiras e não podemos deixar que o frio nos aqueça no cortejo “Galo do Entrudo”, que percorrerá as ruas da cidade mais alta, reproduzindo a tradição. (Programa da GuardaFolia, que além de diversas atividades, inclui o “Galo do Entrudo” na Guarda)

Com sorte ainda vamos arranjar tempo e iremos a Cabanas de Viriato, onde se dança a Valsa ao ritmo da “dança dos cús”. E prometemos desde já que depois mostraremos as fotos desta dança, que dançaremos, porque assim manda a tradição!

Aproveitem foliões, o Entrudo em Portugal é arreigado a tradições, a folia, humor descarado e frio, por isso cubram-se e saiam à rua!

Comentários

Comentários

No Comments

Leave a Reply