Início América do Sul Fernão Magalhães e os Patagões

Fernão Magalhães e os Patagões

|

|

|

Deve haver poucos sítios neste imenso planeta como a Patagónia. Foi inspiração para aventureiros e acicatou as almas dos viajantes. Para aqui foram desterrados criminosos e fazedores de fortunas. Por aqui passou gente que mudou o ruma da História e a História mudou com eles.

Reza a lenda que quando Fernão Magalhães chegou a estas paragens, nos idos anos de 1520, terá ficado surpreendido com a robustez e corpulência dos indígenas locais e lhes terá chamado “patagón”, gente com patas grandes.  Os patagões (que hoje se acredita serem os tehuelches) tinham uma altura média de 1,80m, muito acima da média dos espanhóis da época que mediam cerca de 1,50m.

Há qualquer coisa de tranquilo nesta paisagem. A quietude da patagónia acalma o espírito agitado dos viajantes. Não fosse o vento, e isto seria o paraíso.

Chama-lhe a “escoba de dios”, o vento tão forte que penteia tudo, limpa os céus e até curva as árvores. O vento que sopra do Atlântico sente-se ferozmente nestas paragens austrais.

O tempo passa mas parece que não saímos do mesmo lugar. São muitas horas até Punta Arenas, terra irmã de Sabrosa, em Portugal. São as terras de Magalhães, são as terras que,a  nós portugueses, nos fazem encher o peito de ar.

Olho para lá da janela do autocarro e o céu abre-se com uma amplitude indescritível. Por muito que me esforce é praticamente impossível alcançar o horizonte. A espete autral, em tons acastanhados, alcança ainda mais dramatismo com as núvens carregadas que parecem unir-se à terra, lá longe.

Há ñandus e flamingos e outros animais que não consigo identificar, mas, ao fim e ao cabo, são km e km sem se ver uma alma penada.

As estradas na Patagónia têm magia. / São km e km de nada... / só nós! / É quase como um transe!
As estradas na Patagónia têm magia. / São km e km de nada… / só nós! / É quase como um transe!

 

os meus trilhoshttp://osmeustrilhos.pt
Olá, somos o Sérgio e a Sandra (e agora também o pequeno Simão). Costumamos dizer que "somos viajantes a tempo inteiro e juristas nas horas vagas". Mas somos, acima de tudo, apaixonados pelo mundo, pelas viagens... sejam elas curtas ou longas. É da Guarda, a cidade dos cinco f's e por sinal a mais cidade mais alta, que procuramos abolir fronteiras. Com mochila às costas e botas calçadas venham connosco, entrem em autocarros apinhados, comboios eternos e estradas lamacentas… Tudo sobre nós >>>

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Olá, somos o Sérgio e a Sandra (e agora também o pequeno Simão). Costumamos dizer que "somos viajantes a tempo inteiro e juristas nas horas vagas". Mas somos, acima de tudo, apaixonados pelo mundo, pelas viagens... sejam elas curtas ou longas. É da Guarda, a cidade dos cinco f's e por sinal a mais cidade mais alta, que procuramos abolir fronteiras. Com mochila às costas e botas calçadas venham connosco, entrem em autocarros apinhados, comboios eternos e estradas lamacentas… Tudo sobre nós >>>

Must Read

Moreira de Rei, a guardiã do planalto | Trancoso

Parece impossível que mesmo dentro do nosso concelho de nascimento ainda haja recantos a descobrir. É por isso que viajar é sair...

Penedros da Cabeça, um baloiço no coração da Beira

Em Lamas de Ferreira de Aves o confinamento deu frutos e um filho da terra deu asas à imaginação e construiu em...

Portas do Almourão e o Rio Ocreza

Chegámos às Portas do Almourão num daqueles dias tímidos de junho. Os dias prometiam calor, mas a aragem matinal obrigava a um...

Bogalhal Velho, a maldição das formigas gigantes

Viajar é isto, é sair e parar a poucos quilómetros de casa e descobrir que mesmo aqui ao lado há aldeias perdidas...

Gerês – Os lugares que são de visita obrigatória

O Parque Nacional Peneda-Gerês é um dos locais mais genuínos em Portugal. É um misto de natureza e tradição. O Gerês é...