Início América do Sul A cidade de Nuestra Señora de La Paz - Bolívia

A cidade de Nuestra Señora de La Paz – Bolívia

|

|

|

De Copacabana a La Paz são perto de 150 km. Fazer este percurso não é como ir de uma cidade a outra, é uma aventura e um deleite de passeio. Primeiro, subimos num “coletivo” apinhado de peruanos e bolivianos. Depois o “coletivo” pára em tudo o que é cruzamento. Há que passar um braço do lago Titicaca (mas que só vendo as fotos é possível perceber como é). Temos de circular todo o lago e chegar a uma das cidades mais altas da América Latina. Temos de passar por estradas velhas, ladeadas por montanhas gigantes de cumes brancos. Depois temos de enfrentar o trânsito infernal de La Paz e, já por fim, apanhar um taxi que demora uma eternidade para chegar onde os pés, não fossem estar cansados, nos levariam em minutos.

o "ferry" para atravessar um braço do Lago Titicaca, na Bolívia
o “ferry” para atravessar um braço do Lago Titicaca, na Bolívia

Bem, mas regressemos à cidade de Nuestra Señora de La Paz, comummente conhecida por La Paz, e embora muitos não saibam, não é a capital da Bolívia. Pois é, a capital da Bolívia é Sucre, ainda que o governo esteja instalado em La Paz.

A geografia da cidade impressiona, pois apesar de estar situada a acima dos 3.000 metros, há montanhas ainda mais altas, oferecendo miradouros de corta a respiração.

Como grande parte das cidades sul americanas, La Paz ergue-se cada vez mais moderna e desinibida. Basta percorrer a cidade no recente inaugurado teleférico para vermos isso por nós mesmo e termos uma das melhores panorâmicas da cidade. Bem, mas atenção que uma viagem destas é desaconselhável aos que sofrem de vertigens.

La Paz - Bolivia-5

Bolívia faz-nos sempre recordar o país onde o Macdonnalds não triunfou. Este gigante da Fast food foi derrotado no país, onde o povo prefere outros sabores, que afinal e para nossa decepção não são assim tão diferentes. Fomos na convição de experimentar os mais tradicionais sabores indígenas das américas, embalados pela crença da rejeição da comida de plástico. Contudo a nossa supresa não podia ser maior ao descobrir que a cada metro de rua se abria uma porta para o reino dos frangos e batatas fritas, das pizas e hamburgueres. Assim, a gastronomia, quando comparada com a Peruana ficou abaixo de tudo o que idealizámos.

Mas também achámos que, ao contrário de tudo que havíamos lido, La Paz não é o paraíso das bagatelas tendo-nos arrependido das belas compras que não realizámos em Cusco.

Vagueando pelas ruelas em redor da Plaza Mayor, damos de frente com o mercado das bruxas, lugar arrepiante devido aos mumificados animais que figuram nas bancadas das lojas. Sendo hoje uma verdadeira atração turística, reclama para si a superstição e crenças milenares, onde remédios e mezinhas se encontram com os feitiços e o lado oculto. Aqui todos os problemas têm solução e os males a respetiva cura, resta a força de quem acredita.

Witches Market, La Paz - Nick Gardiner
Witches Market, La Paz – Nick Gardiner

Passear na cidade e descobrir a pé os recantos da praça de San Francisco e o Casco Viejo é uma das prerrogativas de ser turista à descoberta. Se der aquela moleza, saiba que os táxis não são caros, podem é demorar horas no trânsito infernal. E, ao contrário do que nos fizeram crer, a cidade não parece ser tão insegura como a pintavam e caminhando vamos descobrindo mais um mercado, uma ruela, uma padaria onde provamos mais uma empada.La Paz - Bolivia-2

Ao final do dia o transito caótico e os “coletivos” invadem as ruas e encerram o dia de trabalho dos locais. Entretanto, nós stressamos no meio da confusão quotidina!

Sabíamos que Lá Paz ia ser uma cidade de passagem, entre Titicaca e Uyuni. Ao final do segundo dia, tomámos o bus coletivo até Uyuni. Embora haja outras empresas bem mais conhecidas a operar no mercado (“patrocinado pela Lonely Planet”), escolhemos a empresa Omar bus, e o seu autocarro nocturno semi cama. Descobriremos mais tarde em conversa com os viajantes que fizemos a melhor opção, das mais baratas e a mais confortável. Foi ainda no hotel em La Paz que contratámos a tour de 3 dias para o salar de Uyuni e San PEdo do Atacama, já no Chile. Sabíamos que ficaria mais caro, mas fomos surpreendidos com o inverso, principalmente quando descobrimos que tivemos a sorte que todos os outros grupos invejariam.

Mas isso são contas de outro rosário, de que falaremos no próximo post. Vamos lá?

Mais fotografias de La Paz

 

os meus trilhoshttp://osmeustrilhos.pt
Olá, somos o Sérgio e a Sandra (e agora também o pequeno Simão). Costumamos dizer que "somos viajantes a tempo inteiro e juristas nas horas vagas". Mas somos, acima de tudo, apaixonados pelo mundo, pelas viagens... sejam elas curtas ou longas. É da Guarda, a cidade dos cinco f's e por sinal a mais cidade mais alta, que procuramos abolir fronteiras. Com mochila às costas e botas calçadas venham connosco, entrem em autocarros apinhados, comboios eternos e estradas lamacentas… Tudo sobre nós >>>

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Olá, somos o Sérgio e a Sandra (e agora também o pequeno Simão). Costumamos dizer que "somos viajantes a tempo inteiro e juristas nas horas vagas". Mas somos, acima de tudo, apaixonados pelo mundo, pelas viagens... sejam elas curtas ou longas. É da Guarda, a cidade dos cinco f's e por sinal a mais cidade mais alta, que procuramos abolir fronteiras. Com mochila às costas e botas calçadas venham connosco, entrem em autocarros apinhados, comboios eternos e estradas lamacentas… Tudo sobre nós >>>

Must Read

Moreira de Rei, a guardiã do planalto | Trancoso

Parece impossível que mesmo dentro do nosso concelho de nascimento ainda haja recantos a descobrir. É por isso que viajar é sair...

Penedros da Cabeça, um baloiço no coração da Beira

Em Lamas de Ferreira de Aves o confinamento deu frutos e um filho da terra deu asas à imaginação e construiu em...

Portas do Almourão e o Rio Ocreza

Chegámos às Portas do Almourão num daqueles dias tímidos de junho. Os dias prometiam calor, mas a aragem matinal obrigava a um...

Bogalhal Velho, a maldição das formigas gigantes

Viajar é isto, é sair e parar a poucos quilómetros de casa e descobrir que mesmo aqui ao lado há aldeias perdidas...

Gerês – Os lugares que são de visita obrigatória

O Parque Nacional Peneda-Gerês é um dos locais mais genuínos em Portugal. É um misto de natureza e tradição. O Gerês é...