A ilusão da imortalidade – Entre os soldados de terracota, em Xian (China)

Há mais de 2 mil anos que este exército de soldados de terracota continua vigilante. Em posição de defesa, vigilam por um homem que queria ser mais do que homem, que aspirava à vida eterna: Ying Jung, o primeiro imperador da China. Ying Jung (ou Qin Shi Huang Di), chamou-se a si próprio o “primeiro … Ler mais

Shanghai – ‘Whore of the Orient, Paris of the East’

A pontualidade chinesa pregou-me uma partida: o ferry para Shenzhen está atrasado. Os ânimos exaltam-se entre os chineses, a situação não se resolve e o relógio não pára. Sou surpreendido por um “tic-tac” interior, em tudo semelhante, até em timbre, ao que saía das entranhas do crocodilo. Penso em J. M. Barrie, imaginando o Peter … Ler mais

Hoje o meu trilho leva-me a YangShuo (China)

Sinto um cheiro diferente percorrendo o autocarro onde me encontro. Não é de todo estranho! Reminiscências fugazes passeiam veloz à minha volta. Recordo tempos de outrora… Lembro o Volvo antigo, gigante, de um vermelho pálido, que rasgou incansável essas estradas de alcatrão gasto. Portugal de lés-a-lés. Quando a sorte do calendário assim permitia, folgava às … Ler mais

Numa “china” de contrastes

“quem quiser passar além do Bojador, tem que passar além da dor” Podia começar este post com o habitual “o meu trilho hoje leva-me…”, mas em vez disso o meu trilho hoje trouxe-me de volta a uma realidade crua, dura e transparente. Uma realidade que muitos insistem em esconder atrás dos gigantescos números do crescimento … Ler mais

MACAU – 澳門 – Ou Mun

“Cidade do Santo Nome de Deus de Macau, Não Há Outra Mais Leal” Os registos do primeiro contingente português a pisar solo chinês remontam aos idos anos de 1513, quando a esquadra liderada por Jorge Alvarez desembarcou na ilha de Shangchuan (na altura, chamada de Tamão). Apesar de Tamão ter sido um importante ponto comercial, … Ler mais

Hoje o meu trilho leva-me a Hong Kong

Há quem o ame e quem o despreze, mas há custa de suor e lágrimas desprendeu-se de preconceitos e marcou o seu lugar na História da Humanidade – o Ópio. Foi amado pelos poetas, pelos amantes da noite, pelos que mais não têm que a companhia de uma insónia. Qualificou a religião nas palavras cruas … Ler mais

Aterrar de “olhos em bico”

Se fosse altura para me confessar e um espelho reflectisse não só a minha imagem mas a minha alma, com certeza dir-me-ia que ela tremia. Aquele tremor que não se nota, não um ranger de dentes, mas os sinais de quando sentes aqueles arrepios frios que tentas em vão controlar. De tantas vezes que me … Ler mais